Ministro do TSE determina volta de Wellington e Israel, mas vai ter recurso ao pleno

Por Giro das Cidades em 02/06/2021 às 00:19:56

A história das eleições de 2020 de Arcoverde, Sertão de Pernambuco, ganhou um novo capítulo na noite desta terça-feira (1), quando o Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre Moraes, aceitou os argumentos do agravo especial apresentado pelo prefeito cassado Wellington Maciel (MDB) e seu vice, Israel Rubis (PP), rejeitando as imputações de abuso de poder político e econômico e afastando as sanções de cassação do registro de candidatura dos dois políticos, bem como a inelegibilidade deles e da ex-prefeita Madalena Britto (PSB). Mas, a novela ainda deverá ter um novo capítulo no Pleno do TSE.

Na decisão proferida de forma monocrática pelo ministro Alexandre Moraes, ele considera a inexistência de materialidade em três dos itens que foram considerados condenatórios no Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco em fevereiro passado: a promessa de empregos feita pela ex-prefeita Madalena Britto, a utilização das Secretarias de Saúde e Assistência Social para distribuição de benesses e a utilização da TV LW em favor do candidato emedebista.

Moraes, contudo, considerou comprovadas as irregularidades condenadas pelo TRE-PE referente a utilização da logomarca da prefeitura em propaganda em favor do pré-candidato do MDB, uso da entrega de carros da saúde com locutor oficial fazendo ato de cunho político contra as oposições e a interdição de via pública para impedir realização de evento do candidato Zeca Cavalcanti e Eduino Filho, mas considerou que elas "não se mostraram suficientes a desequilibrar o pleito".

Militantes, aliados que tinham sido exonerados pelo prefeito interino e eleitores foram às ruas da cidade comemorar a "volta" de Wellington e Israel à prefeitura, com direito a carreatas e muitos fogos, apesar das restrições impostas pelos decretos da pandemia. A volta deverá provocar uma grande dança de cadeiras dos cargos comissionados da prefeitura.

Apesar da decisão favorável, conhecendo dos recursos especiais e dando-lhes parcial provimento, o empresário Wellington Maciel que aguarda agora reassumir o comando da prefeitura de Arcoverde, que deve ocorrer nesta quarta-feira (2), terá que ficar com um olho na cadeira, ocupada por pouco mais de três meses pelo vereador Wevertton Siqueira (PSB), e outro no TSE, a onde a coligação deverá entre com recurso da decisão que deverá irá para o pleno do Tribunal Superior Eleitoral.

Além do TSE, que ainda não teve o processo encerrado, cabendo agravo regimental, os dois políticos ainda têm nas costas outro processo de cassação dos diplomas por abuso de poder político (Nº 0600494-55.2020.6.17.0057), bem como a suspensão dos direitos políticos de Wellington, Israel e da prefeita Madalena Britto (PSB), por oito anos, proferida no dia 10 de dezembro de 2020.

Comunicar erro

Comentários