Pesquisa mostra liderança de Fernando Ribeiro e Ingrid Zanella na eleição da OAB-PE

Por Giro das Cidades em 07/10/2021 às 00:11:02

As eleições para a Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco acontecem no próximo dia 16 de novembro e já estão movimentando as atenções dos advogados pernambucanos.

Uma pesquisa de opinião realizada na virada dos meses de setembro e outubro, pelo instituto Cipec, coloca a chapa da situação, formada pelos representantes do Movimento Advocacia Mais Unida, Fernando Ribeiro Lins e Ingrid Zanella, à frente da chapa de oposição, formada por Almir Reis e Fernanda Resende, do Movimento A Ordem é Renovar.

De acordo com o levantamento encomendado por um grupo de grandes bancas da advocacia estadual, Fernando e Ingrid têm 33,9% das intenções de voto, contra 19,9% de Almir e Fernanda. Faltando mais de um mês para a eleição, o cenário ainda promete muita emoção, já que 41% dos entrevistados não sabem ou não responderam em quem desejam votar. Outros 5,2% declararam que irão votar em branco ou anular o voto.

Maiores apoiadores

Um dos trunfos da chapa de situação é o apoio do atual presidente da OAB-PE, Bruno Baptista. De acordo com o levantamento, a administração de Baptista à frente da instituição possui 58,9% de aprovação.

Esse índice de aprovação se reflete diretamente nas intenções de voto. O apoio de Bruno Baptista é o que mais influencia o eleitor da OAB-PE, com 30,8% das intenções. Outro apoiador do grupo, o ex-presidente da OAB-PE e atual presidente nacional da Escola Superior de Advocacia, Ronnie Duarte, incentiva o voto de 14,5% do eleitorado. Já entre os principais apoiadores da chapa de oposição, o nome do professor Renato Saraiva influencia 18% dos votantes e o advogado e vice-presidente nacional do PSL, Antônio Rueda, estimula 3,3% dos eleitores.

Rejeição

Almir Reis é o candidato que possui a maior rejeição. Quando perguntados sobre em quem não votariam de jeito nenhum, 20,8% dos entrevistados apontaram o representante da oposição. De acordo com a pesquisa, 12,6% dos eleitores disseram que não votariam de jeito nenhum no candidato da situação.

Comunicar erro

Comentários